Em um mundo ideal, 100% do pesticida pulverizado no campo atinge o alvo desejado. Entretanto, isso não acontece na realidade e é mais provável que uma quantidade do produto seja desviada do alvo. Isso pode gerar problemas como danos a plantações vizinhas, poluição da superfície e lençóis freáticos, riscos para a saúde e desperdício de pesticidas. A terminologia usada para descrever esse movimento de um pesticida e a tecnologia usada para reduzir a deriva é conhecida como DRT (tecnologia de redução de deriva).

Quais os efeitos da deriva de um pesticida?

Os efeitos da deriva na pulverização podem ser categorizados como econômicos, ambientais e risco à saúde humana. Os efeitos econômicos incluem controle ineficiente de pestes, altos custos de pesticidas e formulações, contaminação de plantações vizinhas, penetração na pastagem do gado, resistência dos pesticidas e dívida financeira. Efeitos ambientais incluem poluição de água superficial e dos lençóis freáticos, contaminação terrestre e impacto na vida selvagem local. Os efeitos à saúde humana incluem trabalhadores rurais (efeitos agudos e crônicos), público e vizinhos, população suscetível (crianças, por exemplo) e impacto no fornecimento de água e alimento.

O que causa a deriva?

As gotas são produzidas por bicos de pulverização durante a aplicação de formulações pesticidas. O tamanho dessas gotas tem uma influência dominante na dimensão da deriva observada. Enquanto as gotas menores (normalmente < 200µm) oferecem maior cobertura superficial elas permanecem no ar por períodos mais longos e são mais suscetíveis à deriva e evaporação.

Como a deriva pode ser reduzida?

A escolha do bico é essencial para controlar o tamanho da gota. Os bicos de pulverização de deriva criam gotas maiores, isso significa que as gotas caem mais rapidamente e são menos afetadas pelo vento. Entretanto, gotas maiores têm mais chances de quicar ou escorrer do alvo e proporcionam menor cobertura, prejudicando o desempenho do produto. Além da escolha do bico, reconhece-se que a incorporação de um adjuvante no produto pode ter um efeito importante no tamanho da gota sem prejudica-lo. Os adjuvantes reduzem a quantidade de gotas menores que 105 µm (gotas menores são suscetíveis a deriva), mas não aumentam o tamanho de gotas maiores. Portanto, os adjuvantes reduzem o tempo relativo da distribuição do tamanho das partículas e do número de gotas pulverizadas que estão suscetíveis à deriva. Como resultado isso melhora a performance da aplicação.